Convite à apresentação de projetos

25º Conferência Anual de Pedagogia e Teatro do Oprimido

Popular Power/Poder Popular

Um workshop pré-conferência presencial será conduzido por Julian Boal: de 24 a 26 de maio de 2022

Conferência online (disponibilidade é limitada): 25 de maio de 2022

Conferência (presencial): de 26 a 29 de maio de 2022

Chicago, Illinois, EUA
Loyola University Chicago

Apresentar uma proposta até o prazo de 10 de janeiro de 2022.

Prazo para Revisão da Proposta Antecipada ou Confirmação da Intenção da Apresentação em uma Sessão Previamente Acordada para 2020 (com notificação até 15 de janeiro): 1o. de dezembro de 2021. (Observe que, se você estiver preocupado com o cronograma da revisão e notificação por motivos de viagem, vistos ou planejamento de financiamento, favor enviar até esta data.)

Prazo para a Revisão da Proposta do Cronograma Regular (com notificação até 15 de fevereiro): 10 de janeiro de 2022

Faça o download da chamada de propostas.

Sugerir uma Nova Sessão

Confirmar a Intenção em Fazer a Apresentação na Sessão Acordada Anteriormente

Pedagogia e Teatro do Oprimido (PTO) é uma organização internacional que apoia pessoas cujo trabalho desafia os sistemas opressivos promovendo o pensamento crítico e a justiça social através do teatro libertador e da educação popular. Nossas abordagens decorrem das teorias e práticas de Paulo Freire e Augusto Boal. Promovemos conexões colaborativas para compartilhar, desenvolver, promover e documentar o teatro libertador, a educação popular e outras ações revolucionárias. Nossa conferência anual procura oferecer um espaço acessível, inclusivo e educacional. Procuramos oferecer tanto sessões introdutórias para aqueles que são novos nas práticas de Pedagogia e Teatro do Oprimido, como também sessões avançadas para praticantes de longa data.

O foco da conferência deste ano

Honrando o tema da conferência PTO Chicago 2020, que foi adiada por 2 anos devido ao COVID-19, o foco da conferência deste ano enfatizará a luta popular e o poder popular, que são temas tão relevantes como nunca deixaram de ser.

Por popular, queremos dizer ações que são:

  • Desenvolvidas por pessoas que geralmente são excluídas de conferências como esta.
  • Focadas na justiça e igualdade.
  • Organizadas para desmantelar sistemas que beneficiam algumas pessoas à custa de outras.
  • Empreendidas contra o elitismo, a condescendência, a divisão de classes, o capitalismo, o racismo, a supremacia branca, o colonialismo, o imperialismo, o nacionalismo, as fronteiras, o fascismo, a austeridade, a privatização, o patriarcado, o heterossexismo, as normas de gênero, ageismo (discriminação por idade), discriminação por ser portador de necessidades especiais, cuidados de saúde inadequados e desigualdade de vacinas, a desigualdade educacional, a escravidão, a prisão, a destruição do meio ambiente, e negação genocida da pandemia, entre outras formas de violência. (A pandemia COVID-19 somente expandiu essas formas de opressão e riscos de muitos modos, e nos motivou a incluir estas formas de opressão nesta lista.)
  • Acordadas coletivamente, construídas através de movimentos ou alianças (geralmente difíceis, complicados e parciais) perpassando barreiras criadas para impedir que as pessoas lutem juntas.
  • Realizadas por, como Paulo Freire descreveu, “homens empenhando-se na luta por sua libertação.”
  • Elucidadas a partir da idéia de Augusto Boal de que “ser popular” é “sempre abordar questões da perspectiva das pessoas, ou seja, a perspectiva de transformação permanente, de anti-alienação, de luta contra a exploração.”

Nova no PTO? Você não tem certeza do que propor ou como seu trabalho pode estar relacionado com o tema? Para obter mais informações, clique ou desça até Contexto para Propostas: Algumas Considerações Sobre o Poder Popular!

Conteúdo (clique em cada um ou role para baixo):


Atualizações e Perguntas Frequentes sobre o Covid-19 (FAQ)

Esta conferência foi inicialmente agendada para maio de 2020 e adiada em decorrência do COVID-19. Se você não se inscreveu para se apresentar nesta conferência sobre o Popular Power/Poder Popular pela primeira vez (2020), agora é sua chance! Estamos recebendo novas propostas juntamente com a apresentação de sessões previamente aceitas para 2020.

Perguntas Frequentes (FAQ)

Quais são os requisitos da vacinação do COVID-19 ou testes do COVID-19 que foram implementados no local da conferência?

A nossa conferência irá ocorrer na Loyola University Chicago, e devemos cumprir com as Diretrizes para o COVID-19 implementadas pela universidade anfitriã no ato da conferência. Esta é a política atual relevante para vacinas/testes para hóspedes do campus: “Todos os convidados externos devem ter o seu comprovante de vacinação ou comprovante de teste negativo nas últimas 72 horas. Se tiverem menos de 12 anos, não precisam ser vacinados ou testados”. Todas as vacinas endossadas pela Organização Mundial da Saúde são atualmente aceitas. Observe que esta política pode ser diferente quando chegarmos à conferência e nós comunicaremos rapidamente quando formos notificados sobre qualquer tipo de alteração. Se você tiver perguntas ou dúvidas, entre em contato conosco: pto2022chicago@gmail.com.

Apresentei uma proposta em 2020 e a apresentação foi aceita. Preciso reenviar a proposta inteira novamente? 

Se você já enviou uma proposta para uma sessão na conferência do PTO em 2020 e a sua apresentação foi aceita, a preparação de uma nova proposta não será necessária, desde que você ainda queira fazer essa sessão ou somente pequenas revisões, MAS você precisa preencher o curto formulário localizado aqui. Favor observar: Se você não preencher este formulário, presumiremos que você NÃO planeja apresentar a sessão aceita anteriormente e não agendaremos sua sessão.

Não enviei nada em 2020. Posso enviar uma proposta agora? 

Sim! Você pode fazer isso aqui.

Quero fazer a sessão que já foi aceita em 2020, mas posso fazer algumas alterações?

Se você deseja fazer somente alterações PEQUENAS (por exemplo: poucas alterações no título, mas ainda com o mesmo tópico), você pode indicar estas alterações ao preencher o formulário curto aqui. Se você quiser fazer mudanças relevantes na sessão (mudança de formato, mudança significativa sobre o assunto, mudança relevante sobre métodos), será necessária uma nova proposta.

Minha proposta foi aceita em 2020 e pretendo apresentá-la, mas também gostaria de fazer outra proposta agora. Posso submeter uma segunda proposta? 

Sim. No entanto, dependendo da disponibilidade da sessão e das áreas de conteúdo necessárias, uma segunda proposta pode não ser considerada como uma prioridade em detrimento daqueles que estarão apresentando a sua primeira proposta.

A apresentação da minha proposta não foi aceita para 2020. Posso submeter a proposta agora? 

Sim. Você pode fazer isso aqui.

Posso me inscrever para uma apresentação online se não puder viajar para a conferência presencial? 

Sim. Este ano também teremos um dia de conferência online no dia 25 de maio de 2022, a quarta-feira anterior à conferência presencial, como opção de agendamento de sessões para aqueles que não puderem comparecer presencialmente. Ao enviar a sua proposta ou confirmar oficialmente a sua intenção de apresentar uma proposta previamente acordada, você terá a oportunidade de nos informar se você está se inscrevendo para uma apresentação online, presencial, etc. Favor observar: 1) Dependendo da capacidade, talvez não será possível atender a todos os pedidos de um modo específico de apresentação (online ou presencial). 2) Uma parte do dia da conferência online entrará em conflito com a participação no workshop presencial de três dias da pré-conferência de Julian Boal.

Eu quero fazer a sessão que já foi aceita em 2020, mas posso pedir a mudança para uma sessão online sem uma proposta totalmente nova?

Sim, dependendo da disponibilidade da sessão online. Se você não estiver fazendo alterações significativas na sua proposta, além de solicitar a apresentação online, você poderá simplesmente solicitar a apresentação online ao confirmar sua intenção de apresentar aqui.


CONTEXTO PARA O ENVIO DE PROPOSTAS: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE O PODER POPULAR 

Trabalhadores, militantes, estudantes, professores, ativistas, artistas, estudiosos! VOCÊ está convidado a enviar uma proposta para compartilhar suas práticas e conhecimentos na 25ª conferência internacional da PTO: Pedagogia e Teatro do Oprimido! Esta é uma reunião para aprender, compartilhar e trocar informações entre pessoas que estejam motivadas a lutar juntas por um mundo melhor para todos. Se você quiser fazer parte dessa luta, essa conferência é para você, mesmo que você ainda não saiba nada sobre Pedagogia do Oprimido ou Teatro do Oprimido. Abaixo, explicaremos mais sobre como você pode enviar uma proposta para a conferência. No entanto, se você não tiver certeza de como comunicar ou descrever parte da sua ideia ou como enviar uma proposta para a conferência, basta enviar um e-mail para pto2022chicago@gmail.com com uma pergunta ou uma ideia, e podemos colaborar com você no desenvolvimento da mesma. Além disso, você pode aprender mais sobre a Pedagogia do Oprimidos e o Teatro do Oprimido no nosso site www.ptoweb.org.

Quando escrevemos esta Convocação para o Envio de Propostas para a conferência de 2020, estávamos particularmente interessados em pesquisar o poder popular, devido à intensificação do controle fascista em todo o mundo: autoritarismo, nacionalismo, repressão violenta, etc. Ainda estamos preocupados com as mesmas coisas. Essas formas de opressão também nos incentivam a pensar sobre as diferenças entre os movimentos populares e a retórica dos líderes frequentemente associada ao populismo. Muitos populistas afirmam serem populares: prometem representar pessoas “comuns” contra a elite, mas geralmente fazem o contrário. Como Freire nos lembra: “Enquanto populista, porém, na medida em que simplesmente manipula em lugar de lutar pela verdadeira organização popular, este tipo de líder em pouco ou em quase nada serve à revolução.” Por exemplo, no Brasil – país onde Freire e Boal nasceram – o atual regime destrutivo chegou ao poder em parte se mostrando, para muitas pessoas, como sendo contra o sistema, aparentando ser “popular.” Como podemos construir o verdadeiro poder popular e a organização popular, local e globalmente?

Também perguntamos: Como manter o poder popular ao longo do tempo – diante das dores e exaustão presentes nas derrotas? Esperamos explorar as possibilidades (e a necessidade) de alegria e felicidade dentro da luta. Os sistemas opressivos nos mentem, sugerindo que a alegria e a felicidade são privilégios de poucos da elite e não direito de todos. Rejeitamos essa ideia e sabemos que muitos movimentos no passado e no presente nos dão razões concretas para termos esperança.

Por esse motivo, também refletimos sobre como vitórias e derrotas de movimentos sociais anteriores podem ajudar a moldar o presente e o futuro. Somente nos últimos dois anos, desde que esta Convocação para o Envio de Propostas foi emitida pela primeira vez, houve um acúmulo de demonstrações do poder e do espirito de luta das pessoas: O Movimento pelas Vidas Negras e a sua contínua organização e rebelião, com marchas em todo o mundo, luta continuamente pelo corte de fundos para a polícia e pela sua extinção além de diversas plataformas e iniciativas legislativas. Marchas e protestos em diversos países e regiões. Trabalhadores considerados como essenciais, mas tratados com descaso e como qualquer outra coisa menos essencial, organizadores de proteções fundamentais de segurança contra a pandemia. Formas de ajuda mútua e organização de cuidados comunitário em Chicago e em todo o mundo. Estes são somente alguns exemplos. E Chicago, nossa cidade anfitriã, há muito é conhecida pela luta popular, pela educação popular e pela arte popular. O Dia Internacional dos Trabalhadores começou em Chicago, e a tradição da organização dos trabalhadores permanece muito forte aqui. Somente como um exemplo entre vários, o Chicago Workers’ Collaborative, que tem sido representado no conselho e no comitê da conferência local de Chicago, comemorou 20 anos em 2020, o ano para o qual esta conferência foi originalmente agendada, e o PTO já soma a sua 25ª conferência (e o seu 28º ano) com o reagendamento da conferência em 2022. Em reconhecimento a esses marcos (e o centenário do nascimento de Paulo Freire em 2021) e as histórias longas e emocionantes de tantas outras organizações em todos os lugares, esta conferência também nos convida a refletir sobre estas histórias de artes e da educação para a libertação, da Pedagogia do Oprimido, do Teatro do Oprimido, do PTO como uma organização, etc.


Perguntas adicionais que podem ser consideradas no desenvolvimento de idéias para propostas

Ao pensar na sua proposta, você pode usar algumas dessas perguntas abaixo para guiá-lo(a). Você não precisa ter respostas para essas perguntas. Elas pretendem apenas te dar uma ideia de algumas das muitas perguntas que esperamos explorar juntos.

  • Como você tenta construir o poder popular por meio da educação popular, das artes libertadoras e / ou do Teatro do Oprimidos ou da Pedagogia do Oprimido?
  • Quais são algumas das maneiras pelas quais você trabalha para uma verdadeira igualdade e justiça? Como podemos fazer isso juntos?
  • Como as histórias de luta popular nos ajudam a entender nossas tarefas de hoje?
  • Como você encontra alegria nas lutas e as constrói com os outros? Como você encontra forças para continuar lutando?
  • Como criamos espaço para comemorar vitórias e aprender com as derrotas?
  • Como podemos quebrar as barreiras que os sistemas opressivos constroem entre grupos?
  • Como você promove a luta das pessoas contra o lucro?
  • Como as artes e a educação podem nos ajudar a organizar um trabalho saudável e seguro?
  • Como grandes movimentos de empoderamento popular podem se conectar às lutas específicas, concretas e cotidianas dos trabalhadores contra “roubo de salário,” assédio sexual, discriminação e outras formas de abuso?
  • Como podemos combater os sistemas que tiram proveito em particular daqueles em situação legal vulnerável: refugiados, migrantes, pessoas sem documentos registrados, pessoas em situação atual ou preexistentes de encarceramento, etc.?
  • Como as pessoas podem combater a normalização da economia freelancer ou “gig economy” e a volta ao trabalho temporário na maioria dos campos de trabalho?
  • Como o poder popular luta contra o populismo?
  • Como os usos da Pedagogia do Oprimido, da educação popular, do Teatro do Oprimido e de outros modos de justiça social mudaram nas últimas décadas?
  • Como a PTO mudou como organização? Como deve continuar a mudar?

Nota sobre o idioma

Divulgamos a abertura de recebimento de propostas em inglês, espanhol e português. Temos a capacidade de ler e responder as propostas nesses idiomas e os apresentadores poderão oferecer sessões em qualquer uma dessas três línguas. Também planejamos marcar claramente no programa o(s) idioma(s) nos quais cada sessão será apresentada durante a conferência. Lamentamos que a PTO atualmente não tenha capacidade para garantir a interpretação e tradução de idiomas para os participantes da conferência durante a própria conferência. Nosso baixo custo na taxa de inscrição, voltado para a inclusão econômica dos participantes, também significa que nosso orçamento não nos possibilita possuir uma tradução e/ou interpretação completas. Trabalharemos muito para facilitar o máximo de tradução possível. Embora a maioria das sessões do programa tenha ocorrido em inglês no passado, também tentaremos descentralizar o inglês quando for possível.


FORMATOS DE SESSÃO

  • Sessão Única: 90 minutos
  • Sessão Dupla: duas sessões consecutivas de 90 minutos totalizando três horas
  • Oficinas – Técnica: Oficinas interativas que se concentram em explorar, explicar e experimentar técnicas de práticas de PO/TO ou libertadoras. As oficinas também podem apresentar adaptações e permutações do trabalho desenvolvido para mudar situações, circunstâncias e “populações.”
  • Oficinas – Utilização prática: Oficinas interativas que exploram a multiplicidade de maneiras pelas as quais práticas de PO/TO ou libertadoras podem ser (e são) usadas em detrimento da justiça social, transformação e trabalho libertador. Oficinas e estudos de caso também podem destacar as convergências de outras técnicas artísticas e educacionais libertadoras.
  • Performances: Representações interativas que promovem e problematizam a transformação, a libertação, a justiça social e / ou o engajamento político. A conferência não deve ser vista apenas como uma forma de show, mas como uma oportunidade de exploração interativa da performance em si, dos tópicos sobre os quais ela foi criada ou de ambas.
  • Sessão liderada por jovens: Qualquer sessão por, para e sobre iniciativas lideradas por jovens. Em termos gerais, definimos projetos “liderados por jovens” sessões com liderança significativa de jovens de até 24 anos, embora reconheçamos que o apoio significativo de colaboradores mais velhos também pode ser essencial para o sucesso de tais projetos e sessões durante o conferência. Oportunidades financeiras disponíveis por meio de bolsas de estudo e oportunidades de voluntariado.
  • Discussões em Mesa Redonda: Discussões ou debates entre ativistas, artistas, organizadores e/ou educadores populares. As sessões também podem solicitar que os participantes participem de diálogos sobre conceitos, técnicas ou estudos de caso específicos relacionados ao trabalho de práticas de libertação/PO ou TO. Estas são propostas para sediar uma conversa com os outros sobre um tópico de interesse, ao invés de uma apresentação totalmente formada a partir de suas próprias ideias ou conclusões.
  • Painel: Grupo formado previamente por 3-4 apresentações abordando uma área específica da(o) PO/TO ou trabalho de libertação. Todos os apresentadores devem concordar em participar e fazer parte da proposta apresentada. As sessões também devem incluir diálogo ou outra interação com os participantes.
  • Apresentação do artigo: Resumo da pesquisa ou questão em trabalho / teoria de práticas da(o) PO / TO ou libertárias, fornecidas a partir de anotações. Os trabalhos NÃO devem ser lidos, mas sim apresentados. Cada apresentação deve durar aproximadamente 10 a 12 minutos, excluindo a discussão. Vamos agrupar os trabalhos em grupos de 3-4, sob um tema proposto, com tempo para o diálogo. Proposta não aceitável para uma sessão dupla.
  • Oficinas Anti-Opressão: Oficinas interativas específicas em vários aspectos do trabalho anti-opressão, incluindo linguagem/terminologia, comunidades e populações específicas, desafios e ética, e metodologias de trabalho baseadas na educação libertadora e/ou técnicas do PO/TO.
  • Bem-estar e/ou Assistência Comunitária: Essas sessões podem abordar temas como saúde e bem-estar para ativistas, cura corporal para praticantes e outras práticas de cuidado pessoal e comunitário para pessoas diretamente envolvidas em trabalho baseado em movimento ou de justiça social.

DATAS IMPORTANTES

O prazo para Revisão Antecipada de Novas Propostas é 1º de dezembro de 2021

O prazo para a Confirmação da Intenção de Apresentação em uma Sessão Previamente Acordada para 2020 é 1º de dezembro de 2021

O prazo para a Revisão da Proposta do Cronograma Regular é 10 de janeiro de 2022